É comum as pessoas que utilizam o computador no dia a dia, tanto para trabalho quanto para uso pessoal , deixem a máquina ligada durante muito tempo.

Será que isso é prejudicial para a saúde do seu computador, ou nem por isso? Vamos ver:

PC muito quente

Pensa-se que, quanto mais tempo o computador ficar ligado, mais quente a máquina pode ficar… no entanto, isso nem sempre se verifica. Os coolers do computador estão calibrados para manterem um determinado ritmo. Se alguma tarefa ficar em “standby”, pode haver alguma oscilação de temperatura, no entanto, ela nunca será muito acentuada, excepto se houver algum problema com o sistema de arrefecimento. Numa máquina em “idle”, ou seja, sem processos a serem realizados, excepto o básico do S.O., é perfeitamente aceitável uma temperatura entre os 35 e 60 graus. Tudo dependerá do sistema de arrefecimento, os componentes instaladas, a caixa e, claro, a própria limpeza do máquina.

Claro que num sistema mais robusto, com tarefas a serem realizadas por trás, constantemente, o cooler tende a ter um aumento significativo de trabalho, o que leva a um aumento de tensão acumulado nas ventoinhas, e pode levar a um desgaste mais rápido das mesmas.

No entanto, um dos maiores inimigos dos computadores é o pó… E um computador a trabalhar 24/7, com as ventoinhas em constante movimento, ganha menos pó do que um equipamento com enormes paragens ao longo do dia.

Atualizações

O Windows aproveita quando o sistema é desligado ou reiniciado para atualizar diversas funções. Isso é importante para que o seu computador fique mais protegido e tenha um desempenho melhor (pelo menos, teoricamente, claro).

Reduzir a conta da de luz

Os computadores consomem energia. Para os notebooks ou outros equipamentos portáteis, e dependo do uso, é necessário colocá-los à carga algumas vezes ao dia. Por isso, desligá-los quando possível também é uma economia de energia.

Tensão energética

Um computador sofre, ao longo do seu tempo de vida, inúmeros picos de tensão, que podem, a longo prazo, causar desgaste na fonte de alimentação.

Se, por um lado, um computador sempre ligado, fica sujeito a mais oscilações e picos, com os sistemas de alimentação novos (que incluem estabilizadores de corrente), essa oscilação, por norma, é rudimentar, e pouco se sente.

No entanto, um computador que seja desligado e ligado com frequência, tende, no arranque, a causar picos de corrente internos, que podem ter o mesmo efeito das oscilações faladas encima. Ou seja, mais uma vez, não vemos um benefício entre ligar ou desligar o equipamento, porque, apesar de se manifestarem de forma diferente, o risco é sempre iminente.

Há quem defenda, inclusive, que os picos de corrente obtidos quando se desliga e liga um computador, são mais fortes e causam mais stress ao equipamento, do que qualquer pico oscilatório decorrente durante o funcionamento do mesmo.

Então, o que fazer?

Bem, isso é uma questão que cabe a cada um decidir por si. Mesmo dentro da UNNE temos pontos de vista diferentes, enquanto que alguns dos profissionais, optem por desligar o equipamento, quando em desuso (até para baixar a fatura da luz), outros, optam por manter o equipamento ligado 24/7. Quantas não são as vezes que ouvimos: “Estava a trabalhar tão bem, até eu o ter desligado… Depois, nunca mais trabalhou”?

Se optarem por mantê-lo ligado 24/7 ponderem fazer um “reboot” como deve de ser, sem forçar, uma vez por semana. Isso permite que as possíveis actualizações sejam instaladas e que os discos organizem a informação de forma conveniente, para impedir o surgimento de sectores danificados.

Se o fizerem, garantem o bem-estar do vosso equipamento. A isso, juntem uma limpeza física, pelo menos, de 6 em 6 meses, onde toda a massa térmica seja substituída, e todo o pó retirado dos componentes, e as ventoinhas devidamente limpas, assim como os filtros.

Uma máquina saudável, faz um utilizador feliz.